Presidente da Federação de futebol alemã se posiciona contra o esport nas Olimpíadas

  • 12/03/2018
  • Geral

 

"Eu considero isso um absurdo. Espero que isso não aconteça!". Esta foi a afirmação com todas as letras e sem papas na língua, proferida por Reinhard Grindel (foto), presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), quando perguntado pelo jornal Weser Kurier, também da Alemanha, sobre a viabilidade da entrada do esporte eletrônico nas Olimpíadas, em um futuro próximo.

 

Mesmo com a fortíssima presença do esporte eletrônico na Europa, e de clubes de futebol na própria Alemanha investindo na modalidade, como é caso do Wolfsburg e do FC Koln, Grindel não só se posicionou contrário ao ingresso da prática no maior evento poliesportivo do mundo, como também fez questão de dizer que, para ele, esport não é esporte.

 

“A maior concorrência na atração de crianças para nossos clubes não é o handebol nem o basquete, mas o uso de equipamento digital. Isso é um total empobrecimento. O esporte exerce uma função social e isso acontece dentro da comunidade. Com o esporte, você tem contato direto com aqueles com quem você joga. O futebol pertence ao gramado verde e não tem nada a ver com outras coisas relacionadas a computadores. Para mim, e-sport não é esporte”, disse Reinhard Grindel ao jornal alemão.

 

Atualmente, apesar do esport já ser uma grande realidade no mundo todo, ainda há muitas pessoas que se posicionam fortemente contra ele, quando o comparamos a esportes tradicionais. Nem mesmo as altas quantias em dinheiro movimentadas, os milhares de fãs, clubes com estruturas invejáveis e todo o treinamento e esforço dos atletas, é o bastante para convencê-los.

 

Alguns afirmam que o esporte eletrônico não pode ser considerado esporte pois não há grande força física envolvida na prática. Ora, o que será do tiro olímpico, do xadrez e de tantas outras modalidades que, assim como o esport, também requerem muito mais concentração e esforço mental do que físico? Lembrando que os dois esportes citados são reconhecidos oficialmente pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

 

Se veremos os games nos maiores eventos multiesportivos do mundo algum dia, ainda é uma incógnita. Até mesmo o próprio COI trata o assunto cheio de ponderações. Em comunicado oficial, eles já afirmaram que a possibilidade realmente existe, mas que jogos “violentos” não combinam com o evento. Com exceção dos games esportivos, a maioria carrega consigo algum elemento que pode ser considerado violento.

 

Sendo assim, tudo que podemos fazer no momento é aguardar e continuar apoiando o esport incondicionalmente.

 

Fonte: SporTV.

Tags